terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Como aumentar a chance de sucesso no tratamento da endometriose?

Olá,
Você acabou de receber o diagnóstico de endometriose e esta apreensiva com o tratamento.
Provavelmente, já pesquisou na internet e leu diversas histórias sobre tratamentos mal-sucedidos, mulheres que fizeram inúmeras cirurgias, retirada do útero e ovários, além de outras.
Vamos lá: a endometriose pode voltar? Sim, pode. Mas, existe alguns meios importantes para diminuir a chance de que isso aconteça!
Vamos por passos:
1. Após o diagnóstico o próximo passo é estadiar a doença, ou seja definir quanta endometriose existe. Para isso, o exame ginecológico, desde que bem feito, já dá indícios do que possa estar acontecendo. Após este passo, solicitamos exame de imagem. Este pode ser uma ressonância magnética de pelve ou ultrassonografia especializada. Como qualquer procedimento em medicina, o resultado depende muito de quem faz. Com exames de imagem isso também acontece. Este deve ser feito por alguém afeito a área de endometriose. Se seu médico trabalho com a doença, vai saber indicar alguém de confiança. O exame de imagem vai ajudar no cnotrole do tratamento clínico ou na programação de cirurgia.
2. Após o mapeamento da pelve, vamos ao tratamento! Podemos iniciar com medicações que inibem a ovulação, como pílulas anticoncepcionais, ou com progesterona (acetato de medroxiprogesterona, noretisterona ou dienogeste). Se houver diminuição dos sintomas e restabelecimento da qualidade de vida, mantemos o tratamento em longo prazo, até que haja desejo de gestação. Neste momento diversos fatores vão influenciar a conduta.
IMPORTANTE: mesmo na ausência de sintomas, a doença pode evoluir de forma silenciosa! Não é por que os sintomas desapareceram que esta tudo ok! Acompanhamento clínico, e por meio de exames de imagem são, periodicamente, necessários!
3, Quando a medicação não funciona a cirurgia deve ser indicada, visando o restabelecimento da qualidade de vida! Ai é o primeiro ponto no qual devemos ter atenção. Para obtermos sucesso na melhora dos sintomas, é fundamental que, durante a cirurgia, todos os implantes de endometriose sejam removidos! Por isso os exames de imagem são importantes! Quando vamos para a cirurgia já sabemos o que vamos encontrar! Não importa se estão no intestino, bexiga, ovários e etc. Se não houver remoção completa as dores vão continuar ou retornar rapidamente!
4. Após a cirurgia temos indícios de que os análogos do GnRH(zoladex, lupron..) ajudam na prevenção de recidiva. Devem ser utilizados pelo período de seis meses. Sei que há muito preconceito contra a medicação, por medo dos efeitos colaterais. Não há razão para este temos! Veja outra postagem no blog (http://endometriosemedbr.blogspot.com.br/2016/03/analogos-do-gnrh-zoladex-qual-forma.html).
5. Após o término do efeito dos análogos do GnRH, a menstruação deve ser bloqueada! para isso costuma-se usar os contraceptivos. Sejam os orais, injetáveis trimestrais, adesivo, impante ou diu com hormônio. Este uso deve se estender até que haja desejo de gestação!
6.COntroles periódicos, clímico, com exames de imagem, e eventualmente com a dosagem do CA 125 são necessários. Em qualquer momento, se houver suspeita de volta da endometriose deve-se discutir com o especialista que conduta tomar!
Copyright © Clínica Dr. Eduardo Schor - Endometriose - CRM-SP 77183. Todos os direitos reservados. Design por Winplex no Brasil.